28 de mai de 2010

Renascimento II

Agora lhe vejo alta e sorridente
Feliz por retomar nossa antiga amizade
Oh! Minha eterna companheira
Ajude –me a descobrir a verdade
Vejo uma nuvem negra se aproximando
Mas ela não a esconderá por inteira
Não há mal que dure para sempre
E nuvem que não seja passageira
Vem Amores Vão Amores
Um dia haverá,um para sempre?
Minha amiga cada vez mais plena
Está confuso esse poema
Vou parar de escrever e virei Lhe admirar
Sentir sua energia que vem me contagiar
Essa doce face tua
Que tanta coisa me diz
Obrigada por tornar
Minha noite feliz

28/maio/2010

Renascimento I

A sombra é a minha luz
A lua é a minha inspiração
Sentada ao chão gelado
Lhe admirando pelo portão
as nuvens cobrem as estrelas
mas a sua luz é a maior
Sua beleza tão cativante
A sua energia ao meu redor
Hoje você me parece estar triste
Sua face lhe denuncia
As estrelas são muitas
Mas elas se distanciam
sua luz é a maior e a mais bela
no meio de toda essa escuridão
Não há nuvem que te cubra por inteira
e que ofusque a minha visão
Com o lápis quebrado
termino essa poesia
mas ficarei o resto da noite lhe admirando
Eterna amiga conselheira
Minha Lua companheira.


28/maio/2010