23 de ago de 2010

Eu quero mudar!

Cansei de tristeza,cansei-me da solidão!
Quero resgatar a Guadalupe que um dia existiu!
Smpre que encontro alguns amigos que fizeram parte da minha vida e já me conhecem a mais de 10 anos sempre me perguntam o por que eu mudei!
Por que a Guadalupe não é mais a Guadalupe!

_Cadê a Guadalupe que era totalmente louca? que cantava nas aulas de histórias e fazia piadas na aula de matemática,que dançava e jogava pipoca nos outros na hora do intervalo?Que era a atenção de todas as festas?Que nunca calava a boca e que nunca vi chorar!Que um dia "pegou emprestado um cachorro quente do batata's e nunca mais devouveu,que nas viagens do play center só aprontava,que nos acampamentos não deixava ninguém dormir,que no fogo de conselho cantava e fazia esquetes!A Guadalupe que mudava a cor do cabelo todo mês? Que saia mais do que ficava em casa!A Guadalupe que tinha tantos admiradores e era tão apaixonada!?

Uau!Imaginem o que senti ao ouvir isto!!!

Realmente...
Cadê essa Guadalupe?como ela se foi?e por que ela mudou!?

A muito tempo não me divertido,não rio,não saio e não sou feliz!
Minha rotina se baseia em...


>Escola(ficar na sala ou na biblioteca)
>Casa (internet,bordar e ler/escrever)

E cadê a felicidade? eu gosto de ler,mas a leitura só me prende num mundo de ficção!
Minha vida uma UTOPIA!

Quero ressuscitar a Guadalupe!
botar fogo nesta,que ama ser triste e solitária,que na verdade não ama,mas sua casca e coração são tão duros que usa este termo para se proteger!

Eu quero mudar!aproveitar a vida enquanto jovem!
Pois depois que ser velha irei me dedicar a outras coisas!


Quero rir!

Quero me divertir!
Quero aprontar!
Quero ser feliz!

Então...Boa Sorte para mim!

Boa Noite! (apesar de estar postando de tarde!)


'Ficarei sem postar por um bom tempo'

22 de ago de 2010

O conto :Viva o Vinho

Este conto,eu fiz num momento de brisa.
Me inspirei nos contos de Álvares de Azevedo,que sempre tem o melhor fim!
Não fui criativa no nome dos personagens e utilizei os de um livro muito antigo que me encanta"Do amor e outros demônios"
Modesta a parte,ficou ótimo!Ficarei alguns dias sem postar!

Boa Noite!

Viva o Vinho!

Numa noite fria e nebulosa,numa praça erma com a luz da lua cheia e a brisa gelada de outono, com folhas secas fazendo o barulho da noite ,uma jovem muito bela,branca como a lua que a iluminava,de olhos verdes como a grama da primavera e os lábios cor de rosa ,como a flor que surge no mês de setembro,senta-se no banco de madeira,naquela praça solitária a observar o céu tão escuro com o grande satélite natural.
Ouve passos lentos,a jovem poderia se assustar,mas para ela um anjo se aproximava.Passos tímidos...Silenciosos e frios .Um moço de olhos fundos e negros,assim como o teto que os protegia surge.
O jovem se espanta ao ver uma linda moça tão sozinha,num lugar tão perigoso.
_Com licença,sou Caetano D´Lara,me espanta ver uma jovem só,numa noite tão fria e num lugar como este.Me ofereço a levar-te a sua casa,ou se preferir ficarei aqui contigo,para que não lhe façam maldades.
Sierva,meu nome é Sierva Maria,vim aqui para admirar este céu tão poético e inspirador,agradeço sua preocupação,mas creio já não precisar de babás.
Caetano se espantou com a ousadia da moça e então sentou-se num banco próximo e retira de sua bolsa uma garrafa de vinho e um violão da capa.Oferece o vinho a jovem de olhos virgens,ofereceu por educação,pensando que ela não aceitaria,mas por seu espanto, aceitou e num só gole tomou de todo seu vinho.
_Uma moça com rosto de anjo e jeitos de demônio?Interessante!
_E se eu dissesse que sou um demônio acreditaria?Sierva diz.
_Nem se fosse o próprio capeta,estes teus olhos denunciam a verdadeira donzela.
Passou a madrugada de bebedeiras e muita música,pareciam se conhecer a séculos.
Três anos se passaram e até então jamais se separaram!Viviam uma vida de noites longas,orgia,música,risos e muito amor.
Chegou um dia que Sierva sentiu saudades de ser solitária,estava cansada de ter atenção.Queria voltar a ter a vida de antes,uma vida sozinha e vazia,como as garrafas de vinho que sempre deixara.
_Caetano,não sei o que é o amor,mas se um dia senti algo por alguém,este alguém foi você.Anos desta vida de luxurias me encantaram e preencheram uma parte que eu não sabia existir em mim.Creio ser mais feliz só,só me sinto completa,a tristeza que me incentiva,o frio que me aquece,a luz da Lua que é meu lar.Seja Feliz e quando tomar vinho,lembre-se que um dia eu existi.

Em cinco anos...
George viveu uma vida amargurada,ao contrário de Sierva ele odiava a solidão.Neste tempo passou a viver com Beatriz a quem só lhe satisfazia na cama.Beatriz,uma garota corada de olhos infantis,mais ignorante impossível,não o amava,mas preferia tê-lo a ser sozinha .
Sierva,continuou a viver só,a luz da Lua.Tendo como cama a grama gelada,teto o céu misterioso,coberta o frio e seu melhor amigo o vinho.Nomeou uma estrela de Caetano,e todas as noites dizia que dizia que o amava.Certa vez sua estrala não surgiu e Sierva surtou como cristão em fim do mundo.Foi uma noite longa e dolorosa.Ela então percebeu que George fazia parte dela e que era essencial e insubstituível em sua vida,assim como o coração,pulmão e o cérebro.
Saiu em busca de seu pedaço por todo mundo,passando por diversas cidades,conhecendo culturas e pessoas.Nunca pensando em desistir.
Numa noite de Lua Nova,onde o céu era tão mais escuro,as estrelas pareciam ser mais e a vida sem sentido,entra numa taverna,como qualquer outra no mundo.Senta-se e diz;
_Taverneira!Traga-me vinho,muito vinho!
O homem ao lado com sua idade avançada , expressa nos olhos diz:
_Mulher do demônio,és tu!Nunca vi uma pedra tão preciosa, beber como tu bebes!!!
Você consegue beber mais que meu camarada Caetano D´Lara e parece seguir seu lema”Não fique de ressaca,mantenha-se bêbado”diz ele beber só para manter ainda em sua mente,uma donzela que o abandonara .
_O senhor disse CaetanoD´Lara .Onde é que ele vive?Como o encontro!?Creio ser o demônio que um dia cruzou em sua vida.
O velho explica como chegar á Caetano e no crepúsculo do outro dia,Sierva segue pelo caminho com o coração na garganta e formigas na mão.Chega numa ponte,de lago negro e frio,mata verdejante com árvores dançantes,senta-se e pensa se ver a pessoa que tanto amara é o que realmente quer.
Ela escuta passos lentos,poderia se assustar,mas para ela um anjo se aproximava.Passos tímidos,silenciosos e frios.Era Caetano D´Lara.
Se olharam e choraram.Sem abraços nem beijos
_Vim aqui para me suicidar,o vinho já não me é mais doce,aparece um anjo para impedir-me de seguir?Diz Caetano
_Vim em busca me minha estrela perdida,quando na verdade a perdida era eu.Descobri que sou mais dependente de ti,do que de qualquer outra bebida!
_Sou dependente do vinho,mesmo ele não me tendo mais gosto,recuperei-me de seu abandono com as garrafas da vida.Pedi ao demônio que você morresse,quando o morto era eu.
_Vim em busca de meu pedaço.
_Seu pedaço já se fora!
_Cala-te e Desculpe-me
Sierva com suas mãos geladas,pega suavemente a fraca face de Caetano e com seus lábios roxos como a uva madura,beija os de sua estrela.
Em desespero,Sierva levanta,e corre sem rumo pela ponte como um ladrão da noite,passando pedras e pulando poças.Olha para trás e neste instante de distração,um caminhão de motorista embriagado a atropela.